O Novo Ano vem aí …

dezembro 29, 2007

2008.jpg Simônica Capistrano

 Galera da Fazenda Garcia,  O ano de 2007 vai ficar para a história. Realizamos sonhos, enfrentamos crises, sofremos, choramos de alegria e de tristeza, vivemos momentos intensos. Porém, ainda há muito o que se fazer. Talvez venhamos a pensar e a acreditar que o ano passou tão rápido que não deu tempo de fazermos nada. Pelo contrário, fizemos muita coisa. O problema é que sempre queremos mais. Mas isso é muito bom. Significa que não nos acomodaremos no novo ano que se inicia.

É importante que deixemos estes poucos dias de 2007 que nos restam para fazermos uma breve reflexão sobre tudo o que fizemos e quais planos traçaremos em 2008. Façam os rituais. Vistam-se de branco, prata ou a cor que desejar. Comam nozes, azeitona, tomem champanhe e vibrem. Comemorem por estar vivos. Por verem o Sol nascer mais um dia!!! Celebrem com a sua família e aquelas pessoas que contribuíram para o seu sucesso. Desejem sorte para si mesmos e vivam cada momento como se fosse o último, mas com responsabilidade!!!

FELIZ ANO NOVO!!!


É possível transformar a realidade do seu bairro através da comunicação comunitária

novembro 22, 2007

Conscientizar a comunidade de que é possível participar ativamente da história do bairro, dando visibilidade ao mesmo através de um meio de comunicação gratuito e democrático foi um dos objetivos da nossa visita em 17 de novembro, ao Garcia.com: Lan House e Internet, localizada na Rua Prediliano Pitta, Fazenda Garcia.

Chegamos ao local às 16h30 e fomos recebidos pelo presidente da Associação de Moradores e Amigos do Garcia (Amag), Marco Adorno, com quem havíamos feito contato durante todo o processo de construção do nosso trabalho (o blog na internet), que será avaliado pela disciplina Comunicação Comunitária do curso de jornalismo ao qual cursamos na Faculdade 2 de Julho. A princípio realizaríamos uma verdadeira feira cidadã, proporcionando aos moradores um dia diferente com lazer, esporte, palestras, serviços de saúde e educação. Porém fomos coibidos pela total ausência de patrocínio da faculdade, mas não abandonamos o nosso compromisso que era o de fornecer ferramentas para transformar a realidade do bairro, tão invisível diante da grande mídia. Agora eles terão a possibilidade de criticar, sugerir soluções para os principais problemas da comunidade e serem autores de seus próprios textos, que estarão disponíveis para todo o mundo.

ENCONTRO – Ministramos a oficina de construção do blog na Lan House, a quatro jovens estudantes da comunidade, indicadas por Adorno. Camila Reis, 19, já tinha acesso à internet, porém não sabia lidar com o blog. “Achei muito interessante essa oficina. Será uma forma de passar informações variadas sobre o lugar em que moro para todas as pessoas”, comenta a estudante. A outra participante, Simone de Jesus, 21, concordou com a amiga Camila e se dispôs a acompanhar a trajetória do blog, escrever sobre os acontecimentos do bairro, além de passar para outras pessoas a existência do novo meio de comunicação. Emanuela Chagas, 18, também falou sobre a novidade. “Adorei a idéia de falar do bairro em que moro”. 

 A única participante que já usava o blog como um diário pessoal foi Érica Araújo, 17. “Já tive um blog, mas cancelei. Fiquei com medo de roubarem as minhas fotos. Mas participarei do blog da minha comunidade. Acho importante”, comentou. 

Um dos funcionários da Lan nos ajudou substancialmente na utilização dos computadores, o técnico em informática, Maílson Almeida que trabalha no local há um ano.A aula durou em torno de uma hora e ao final do encontro batemos um papo com o proprietário do Garcia.com, o analista de sistemas Anderson Boamorte, 27. Ele nos contou algo muito curioso e interessante. “Sempre me interessei pela história da Fazenda Garcia e já pensei em construir um site. Tanto que tenho uma coleção de fotos antigas tiradas pelo colecionador Álvaro Santos sobre os momentos mais marcantes da construção do bairro. Através desse blog poderei registrar várias informações sobre como era o cotidiano das pessoas aqui”, relatou Anderson.

Comentários variados rolaram sobre as nossas matérias que já estavam postadas.  meninas apreciaram, criticaram e fizeram várias perguntas sobre o que escrevemos. Mostraram-se bastante entusiasmadas para dar continuidade ao nosso projeto e prometeram informar, mesmo no “boca-a-boca” a existência do nosso veículo de comunicação. Além de se comprometerem a enviar matérias produzidas por elas para o e-mail construído só para essa finalidade. Foi uma experiência maravilhosa, principalmente porque os moradores da Fazenda Garcia têm algumas das principais qualidades humanas: são amigos, simpáticos, prestativos e talentosos.  

Quer participar da construção do Blog Fazenda Garcia? Escreva sobre o que acontece de mais importante no bairro e envie para o e-mail blogarcia20@gmail.com. 

* Jan Penalva, Luciano Souza, Rose Ribeiro e Simônica Capistrano


O making of

novembro 21, 2007

Reuniões, bate papo, risadas e algumas aulas de “internetês”. Assim foi a última semana, com reuniões entre os idealizadores do blog e membros da Associação de Moradores.

Confira as fotos nos links abaixo.

img_0151.jpg

img_0152.jpg


Problemas em fotos

novembro 21, 2007

Lixo pelas ruas… módulo em estado precário… o que a comunidade acha? Normal? Não tem jeito?

ALguém já fez algo para mudar isto?

COMENTEM!

Módulo policial                                                             Lixo


A história do bairro-fazenda

novembro 17, 2007

Construção da Ladeira do GarciaConstrução da ladeira do GarciaSolar_Conde_dos_arcosInauguração da ladeira SolarConde dos ARcos

 CRÉDITO DAS HISTÓRICAS: ÁLVARO SANTOS

Sede de um dos maiores latifúndios do mundo, fazenda de gado e “depósito” de escravos, o Garcia, ao longo de sua história, já teve as mais diversas funções, abraçando tanto cidadãos da nobreza como do proletariado. Contar a trajetória dos moradores do bairro – desde o conde Garcia D´ávila à legião de migrantes que vinham à capital em busca de emprego – é relatar a história da Bahia e revelar as origens das contradições que até hoje habitam o local.

Segundo a Emtursa (órgão oficial de turismo de Salvador), o bairro teve origem no final do século XVI, quando se constituiu a Fazenda Garcia D´ávila, pertencente ao conde homônimo. O nobre criava gados e “estocava” escravos no local, enquanto não eram vendidos a outros senhores. De acordo com o escritor Luiz Eduardo Dórea, na obra “Os nomes das ruas contam histórias”, a terra passou do Conde Garcia D´ávila para o Mosteiro de São Bento, em seguida para o Coronel Duarte da Costa e, por fim, para a União Progresso Fabril da Bahia (propriedade da família Catharino que é, hoje, parte da herança de Ursula Catharino para os filhos ainda vivos).

A informação, entretanto, provoca dúvidas em alguns estudiosos.A dona de casa Rosalina dos Santos Cardoso, 45 anos, diretora do “Conselho de Segurança da Polícia Militar para o Garcia”, acredita que a comunidade se formou por iniciativa dos trabalhadores da fazenda. “Os patrões construíam casas para os empregados morarem, onde hoje fica o fim de linha do bairro. Aos poucos esses empregados foram formando famílias e construindo novas casas, e a região foi crescendo”, explica ela. Devido a vicissitudes econômicas, a União Fabril da família Catharino foi à falência (no início do século XX), arrastando consigo o patrimônio imobiliário do clã. A partir daí pequenos pedaços da fazenda foram sendo arrendadas para aqueles que trabalhavam no local, e para os migrantes que procuravam oportunidades de emprego em Salvador. Foi o início da consolidação do novo bairro, que viu surgir, junto com a nova população, empreendimentos educacionais voltados para os filhos da classe média da cidade.


Carência de sinalização provoca insegurança no trânsito no Garcia

novembro 17, 2007

Vielas, trechos complicados, ladeiras e vias intransitáveis compõem o cenário urbano caótico de alguns bairros de Salvador. O crescimento desordenado da capital permitiu a existência de construções irregulares e locais de difícil acesso para veículos. Motoristas e pedestres, portanto, devem redobrar a atenção ao transitar por esses locais, para inibir os riscos de acidentes, já que eles são carentes de sinalização, como é o caso do bairro do Garcia. De acordo com dados estatísticos do Sistema de Informações de Acidentes de Trânsito (SIAT) da Superintendência de Engenharia de Tráfego (SET) do município, este ano, em Salvador, já foram registrados até o mês de junho, 10.875 acidentes de trânsito envolvendo veículos e pedestres. Esses números evidenciam que a imprudência no trânsito e a falta de sinalização ainda deixam muito a desejar. Um ponto da capital a ser destacado é a Rua Padre Domingos de Brito, no bairro do Garcia. A ladeira que liga a Avenida Garibaldi ao bairro é estreita e só há uma sinalização. A via, que é mão-dupla, dá acesso a dois bairros, o Garcia e a Fazenda Garcia. È um trecho caótico e os riscos de acidentes são visíveis. “Muitas vezes tive que frear bruscamente para não partir os carros ao meio”, conta o motorista de ônibus, da linha Barbalho – Fazenda Garcia, Roberto Assunção. A gerente de projetos da SET, Gisnaia Sampaio informou em relação a esse trecho que há uma placa que sinaliza “Pare” na via e que é a mais adequada para o local. “Não têm possibilidades de haver outra sinalização. O problema é que alguns motoristas não respeitam o sinal de trânsito. Colocar outra placa é impossível, devido à topografia da área”, conta a gerente.


novembro 14, 2007

explosão de cores e desigualdades


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.